Chocolate para cães e gatos

Chocolate para cães e gatos

O chocolate com certeza é um dos doces mais populares e queridos entre as pessoas. Com a proximidade da Páscoa então, o desejo por comer uma ou duas barrinhas fica ainda mais forte. Contudo, para muitos tutores de pets, uma dúvida ainda permanece em relação ao consumo dessa guloseima: os cães podem ou não ingerir chocolate? Diferentemente dos humanos, os cachorros não podem, de jeito nenhum, comer nenhum pedacinho do doce, e a regra também vale para os gatos.

Por que faz mal dar chocolate para cachorro?

Apesar de muitos donos de pets acreditarem que um simples pedacinho do doce não causará mal algum ao animal, essa ideia é arriscada e promove um grande risco à saúde dos bichos. 

É importante ter em mente que mesmo em baixas quantidades, os animais podem sofrer sérios danos por conta da ingestão do chocolate.

O famoso doce possui carboidratos, lipídios, aminas biogênicas, neuropeptídeos e metilxantinas, que é, mais precisamente, a teobromina e a cafeína. E são justamente essas duas últimas substâncias que são altamente tóxicas para os cães.

Dessa forma, a dose de teobromina muda de acordo com o tipo de chocolate. Quanto mais lipídios tiver, menor será o nível de teobromina.

Mas como isso funciona na prática? Quanto mais escuro for o chocolate, maior será o nível de concentração da substância e, como consequência, também maior será a chance de intoxicação do animal. 

Os chocolates brancos, por exemplo, não oferecem tanto perigo de intoxicação para os cães. Mas os amargos, em contrapartida, são os que oferecem grandes riscos de intoxicação.

Quais são os sintomas de intoxicação nos cães?

Seja em pequena ou grande quantidade, já entendemos que a ingestão de chocolate é altamente prejudicial aos pets. 

Para se ter uma ideia, a dose considerada letal é de 250 a 500mg. Além disso, sinais clínicos de intoxicação podem começar a surgir de 6 a 12 horas após o consumo.

Dentre os sintomas apresentados, os mais comuns são:

  • Vômito;
  • Diarreia;
  • Polidipsia e poliúria (é quando o animal bebe mais água que o normal e também urina em excesso);
  • Náuseas;
  • Arritmias cardíacas;
  • Hipertermia (aumento da temperatura corpórea; febre);
  • Hemorragia intestinal;
  • E, em casos mais graves, coma e morte.

As quantidades consideradas tóxicas não necessariamente precisam ser ingeridas de uma única vez. A teobromina pode permanecer no organismo por até seis dias.

Ou seja, doses repetidas sucessivamente também podem causar uma grave intoxicação. Portanto, é preciso ficar atento a alimentação do animal.

O meu pet comeu chocolate. O que fazer?

“Infelizmente, não há um antídoto que combata a intoxicação por chocolate nos animais de estimação”, afirma Livia Romeiro, veterinário do Vet Quality Centro Veterinário 24h. 

Por isso, caso um cão ou gato tenha comido chocolate, o ideal a se fazer é buscar ajuda de um hospital veterinário o mais rápido possível. 

O veterinário saberá exatamente como lidar com os sintomas que o bichinho apresentar, buscando estabilizar o estado do animal, e fazer de tudo para reduzir o risco de complicações.

Assim, o profissional poderá dar soro na veia do animal com o intuito de evitar desidratação por causa dos vômitos ou da diarreia. 

Também poderá realizar uma lavagem gástrica, procedimento geralmente feito quando não se é possível induzir o vômito.

Dessa forma, o indicado mesmo é evitar ao máximo que o peludo consuma qualquer quantidade de chocolate, seja o tipo que for. 

Chocolates e outras opções saudáveis feitas para cães e gatos

Atualmente, os animais de estimação praticamente fazem parte da família, e por isso não podem ficar de fora das comemorações de Páscoa ou das sobremesas do dia a dia. 

O mercado pet disponibiliza várias opções de chocolate para cachorro feitos exclusivamente para os peludos. 

Esses produtos não apresentam itens tóxicos para os cães, já que alguns têm em sua composição a alfarroba, fruto rico em vitaminas A e do complexo B, e minerais diversos. 

Além disso, esses chocolates especiais são feitos à base de soja, e não possuem teobromina e cafeína. Uma ótima opção para não deixá-los passando vontade.

Contudo, é importante ressaltar que os chocolates feitos para os pets não devem se tornar uma forma de petisco ou serem consumido diariamente. Isso fica ainda mais evidente em relação aos bichinhos que têm tendência à obesidade.

Existem outras opções para substituir a guloseima?

“Claro! Se mesmo assim você não quiser dar os chocolates feitos especialmente para cachorros para o seu, não tem problema. Uma boa alternativa são as frutas”, afirma Livia. 

Nem todas são permitidas, mas existe uma boa lista de frutas que são liberadas e fazem bem para a saúde do animal.

Manga, banana, melancia e melão são as melhores opções e certamente o pet vai se deliciar com os alimentos, sem correr nenhum risco de intoxicação.
Em caso de dúvidas sobre o tema, vale consultar um nutricionista veterinário para descobrir o que é mais indicado para o pet.

Capi
A autora

Capi

A Capi nasceu em 2020 no parque Barigui em uma família de capivaras, mas viu que o seu negócio mesmo não é caçar e nem procriar, é FOFOCAR. Teve sucesso muito cedo e agora, além de com  DJ oficial da RIC FM ela passa está sempre nas nossas redes sociais contando as maiores tretas dos famosos no quadro Capi Indelicada! Vem conhecer a Capi no @radioricfm no Instagram e no Facebook 😉

Deixe seu comentário

Outras notícias

“Squirting”, entenda esse tipo de ejaculação feminina que não existe só nos filmes eróticos

“Squirting”, entenda esse tipo de ejaculação feminina que não existe só nos filmes eróticos

Leia mais >>
Nathália Siqueira, vencedora do programa CountryStar, faz live comemorativa de 25 anos de carreira

Nathália Siqueira, vencedora do programa CountryStar, faz live comemorativa de 25 anos de carreira

Leia mais >>
Influenciadora Juliana Cunha apresenta a tendência que está de volta: piranha aos cabelos

Influenciadora Juliana Cunha apresenta a tendência que está de volta: piranha aos cabelos

Leia mais >>